13 de set de 2011

Canoa de luz
.
Navego sobre um rio que deságuam peixes
Que libertos saltam pelas águas rarefeitas
Pelos córregos o chiado entoa a paz no lugarejo
A canoa é luz àquela paisagem ribeirinha
Os pássaros nascem rosa de aurora
O sol nasce entre as árvores da selva
Uma linha de guarás vermelhos divide o céu
Quando pousam seus olhos nos galhos
O pantanal amanhece sem flechas...



Noite de luz

Levo a lua na canoa de luz
No espelho d'água na cheia
Descem seres pelo fio do priti
O rio enche meu coração
E brota pelas veias o verde
O córrego dá vida à árvore prata
Os pássaros piam nos ninhos
O bico do poema dorme com as aves
A canoa escorre entre os igarapés
Os bichos voltam à lua com luz...